28 abril 2012

Comentário da Lição da Escola Sabatina – Lição 05 – 2º Trimestre 2012


Comentário da Lição da Escola Sabatina – Lição 05 – 2º Trimestre 2012
(28 de abril a 5 de maio)

Comentário: Gilberto G. Theiss

SÁBADO, 28 DE ABRIL
Evangelismo e testemunho sequenciais

            “Dei-lhes leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebe-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições” (1 Co 3:2, NVI)

            Pensamento Chave: O leite materno é o primeiro alimento que uma criança recém nascida precisa receber. No evangelismo o procedimento é o mesmo.

            Deus dotou seu povo de sabedoria com o objetivo de criar métodos e estratégias evangelísticas que sejam capazes de alcançar os corações perdidos. Uma destas estratégias são os estudos sequenciais em linha de conteúdo progressivo. Da mesma maneira em que deve-se dar à uma criança recém nascida o devido leite materno, assim, com os que estão começando as séries de estudo, deve-se dar o alimento espiritual apropriado. Há pessoas, até bem intencionadas, que gostariam de oferecer, primeiramente, um estudo sobre as 2300 tardes e manhãs. Observe que, se o candidato ainda não aprendeu a ser amiga de Jesus, e não aprendeu a confiar na Bíblia, que sentido teria estudar as 2300 tardes e manhã? Percebe? Os estudos devem ser sequenciais em ordem ascendente de temas relevantes e apropriados. Se fizermos o contrário disto, algo poderá contribuir para o fracasso do estudo. Por este motivo é que, a igreja adventista possui estudos bíblicos em sequências lógicas. Assim, será mais fácil o estudante da Bíblia compreender melhor as verdades bíblicas. Lembre-se que, um estudo oferece suporte para compreender o estudo seguinte.
           
DOMINGO, 29 de ABRIL
Evangelismo sequencial e necessidades sentidas
(Lc 9:11; Mt 25:35-40)

            Um dos métodos mais significativos para começar uma sequência evangelística ou estudo bíblico é se tornando amigo dos interessados. Nada será mais poderoso do que esta estratégia. Claro que, não deve apenas ser uma estratégia, devemos ser verdadeiramente amigos delas. Se conquistarmos a amizade destas pessoas, com certeza, tudo no evangelismo ou nos estudos será mais fácil. No entanto, uma das formas de conseguir conquistar a amizade é através do atendimento às suas necessidades. Todas as pessoas possuem necessidades básicas e necessidades urgentes. Ajudá-las em suas necessidades, desde a oferta de um pão até o compartilhamento de palavras confortadoras, enfim, qualquer ajuda fortalecerá a capacidade de compreensão da verdade e do poder do evangelho. Oferecer um ombro amigo, fará muito mais que uma simples campanha evangelística. Como bem ilustrou o autor desta frase: “Palavras não fazem pão”. A expressão é contundente e repleto de significado, e claro, nos ensina que o agir será mais eficaz que meras palavras. Devido às mentiras e hipocrisias ensinadas em todo o cristianismo, as pessoas, a primeiro momento, tendem a desconfiar dos pregadores do evangelho. Esta barreira precisa ser derrubada, e o meio para isto é se tornando um auxiliador, amigo e irmão delas. Desta forma, não haverá muralhas psicológicas que sejam intransponíveis para alcançar os corações perdidos.
                                   
SEGUNDA, 30 DE ABRIL
Leite e alimento sólido
 (1Co 3:1-3; 1Pe2:2; Jo16:12)

             Lembro-me bem da minha conversão pessoal, pois foi muito marcante e repleta de erros que me ensinaram lições muito preciosas. Eu havia recebido os estudos sequenciais e, como na maioria das vezes, aprendi os temas em ordem progressiva de verdades mais leves para verdades mais sólidas. No entanto, quando aprendi que o domingo era o sinal da besta, fiquei tão impressionado que comecei a dizer para todas as pessoas conhecidas a este respeito. O resultado foi trágico, pois começaram a dizer que eu acabara de me tornar um fanático religioso. Enfim, esta experiência foi uma entre tantas, mas que me serviu de lição para entender bem que primeiro vem o leite e depois o alimento sólido.
            Jesus mesmo foi muito cuidadoso e na maioria das vezes ele manteve suas mensagens na pessoa dEle mesmo. Era necessário que os ouvintes compreendessem acima de tudo que a salvação se encontrava apenas nEle. Se os ouvintes entendessem esta verdade preciosa, a partir deste momento, estavam preparadas a começar a ouvir as outras verdades ligadas a Cristo. Mesmo os discípulos, após 3 anos de aprendizado, acabaram não compreendendo algumas das lições mais significativas. Isto indica que o evangelho, embora semeado no coração pelo Espírito Santo, deve ser apresentado de uma maneira em que as pessoas sejam capazes de assimilar. Uma verdade oferece suporte para outra verdade. Uma boa sugestão de sequência para um trabalho bem desenvolvido pode ser esta:

1º - Conquistar a amizade e a confiança das pessoas e ser um amparo para elas. Sendo sempre amável, cortês, bondoso e um auxiliador;
2º - Ajudá-las a confiar na Bíblia como única regra de fé e de verdades;
3º - Ajudá-las a serem amigas incondicionais de Jesus confiando plenamente Nele;
4º - Ajudá-la a entender o quanto Deus nos ama, que Ele deseja curar nossas feridas, e que a vida tem um propósito;
5º - Apresentar o grande plano de salvação em Cristo somente;
6º - Se os interessados alcançarem essas 5 primeiras metas com sucesso, agora sim, em ordem progressiva, pode-se começar a apresentar o evangelho mais sólido. Mas deve-se começar dos assuntos mais simples para os mais sólidos. Obs: As 5 primeiras etapas levam tempo. Em alguns casos levam menos tempo que outros.

TERÇA, 1 DE MAIO
Verdades decisivas
(Jo 6:54-66; 14:15)

            Cada grupo exige um tratamento especial. Em alguns casos, devido suas crenças anteriores, é necessário que recebam um contato e estudo da forma apresentada no comentário de segunda. Outros, por já conhecerem a Deus e seu plano de salvação, talvez fosse possível pular algumas etapas. No entanto, o que às vezes atrapalha, é o fato de muitos evangelistas ou líderes de igreja pretenderem fazer batismos relâmpagos impedindo logicamente a sequência exigida para conseguir alcançar o coração das pessoas de maneira sólida. Consequentemente, muitos se batizam, mas, logo acabam se apostatando. Batizam-se ou pela euforia do momento, ou pela imprudente insistência do evangelista. Esta insistência em fazer batismos relâmpagos, ou realizar batismos de pessoas despreparadas em um curto espaço de tempo pode ser interpretada pela ânsia de buscar promoção no ministério ou de apresentar um relatório invejável aos colegas de trabalho. Claro, sem falar das competições que existe na mentalidade subdesenvolvida de alguns. Todas estas maneiras de trabalhar trazem grandes problemas para a obra, pois a apostasia acaba se tornando um problema causado não por Satanás, mas pelos próprios ministros do Senhor. Na verdade este tipo de comportamento acaba se tornando um tiro no próprio pé, pois cria um crescimento fantasioso e virtual. No papel a igreja possui 17 milhões de membros, mas, na prática, a igreja talvez não passasse de 10 milhões. Mas, voltando ao assunto, Deus revelou em Sua palavra profética que, as mensagens que deveriam ser levadas a todo o mundo são as 3 mensagens angélicas (Ap 14). Esta revelação, de certa forma, também está insinuando qual o tipo de mensagem que Ele deseja que seja levado aos povos. Este puxão de orelha serve especialmente para aqueles que passam a vida toda pregando apenas o leite. Devemos nos aproximar das pessoas com o leite, mas, inevitavelmente, chegará o momento em que o alimento sólido deverá ser oferecido. E este momento não deve ser postergado, a não ser que surja uma razão muito óbvia. Verdades decisivas são aquelas que causam divisão. Divisão dos velhos conceitos para os novos. Verdades que vão inserir as pessoas em um campo de batalha espiritual. E claro, para minimizar as escandalosas apostasias que tem ocorrido, devemos criar nessas pessoas uma identidade puramente adventista. Este é o papel das mensagens mais sólidas. Se ficarmos apenas no leitinho materno, estaremos preparando as pessoas para serem apenas meros evangélicos. Nada mais que isso.

QUARTA, 2 DE MAIO
Medindo o crescimento espiritual
(Gn 3:9, 13; Mt 16:13-15; 22:41-46; Mc 9:33; Lc 2:46)

            Medir o crescimento espiritual pode ser uma das atividades mais negligenciadas pelo instrutor ou pelos evangelistas. É possível que no auditório, muitos tenham participado de todas as palestras, mas não tenham assimilado em suas vidas todas estas informações. É necessários que estas pessoas sejam visitadas e ao mesmo tempo, que lhes seja dado oportunidades reais de se manifestar. Pode ser que tenham alguns problemas que, para elas não há solução, quando na verdade, às vezes, uma simples palavra de encorajamento seria suficiente. Deve-se, no decorrer do programa evangelístico ou dos estudos, haver um acompanhamento bem aproximado das pessoas interessadas. Elas precisam assimilar a ideia que estamos muito interessados nelas. Visitações, encontros sociais e uma aproximação baseada na amizade deve ser uma rotina, já que desejamos muito que elas se decidam. Não devemos visitar apenas para preencher as fichas, mas visita-las para ter certeza que essas pessoas estão em crescimento espiritual ascendente. Ouvir suas necessidades e contribuir para que seu crescimento espiritual seja real, deve ser uma de nossas preocupações. Métodos precisam ser elaborados nesta direção, mas não somente elaborados – devem ser cumpridos. Nesta ocasião, me lembro das pessoas que deram estudos para mim. Elas sempre me visitavam, convidavam para almoçar, e sempre que faziam alguma viagem especial, me levavam junto. Tudo isto fez com que o evangelho encontrasse guarida em meu coração com mais impacto e força. No evangelismo em Belo Horizonte, fiz algo semelhante com meus interessados, e pode acreditar, funciona pra valer.

QUINTA E SEXTA 3 e 4 DE MAIO
Preparando uma colheita
(Lc 8:4-15; Jo 16:7,8,13)

            Como uma planta, as pessoas precisam de cuidados especiais constantes. Não adianta plantar a semente e depois deixar que ela se vire sozinha. Devemos constantemente aguar, retirar os matos que crescem ao redor, e no processo de seu desenvolvimento precisa receber outros cuidados até que se torne uma árvore robusta capaz de sobreviver sozinha. Enfim, esta lição foi dada pelo próprio Deus. A comparação foi feita por quem entende do assunto. O que às vezes acontece é que, as pessoas recebem toda a atenção necessária para tomar a decisão, mas quando tomam a decisão, são esquecidas. São poucas as igrejas que ainda mantém as classes pós-batismo em funcionamento. São poucas as igrejas que mantém um assíduo programa de conservação dos membros. Graças ao bom Deus, há campos hoje que não estão mais parabenizando pastores apenas pelo número de, mas também pelo número de pessoas que eles também tem conservado. Este paradigma está mudando e em alguns campos a exigência de resultados tem se tornado diferente. Antes era assim: Quanto você batizou? O relatório diz que foram 300 pessoas. Agora é assim: Qual é o valor exato de crescimento? O relatório diz que foram 300 batismos e 50 apostasias, então, o valor exato de crescimento foi de 250 pessoas. Esta mudança tem ocorrido e com certeza contribuirá para um trabalho mais eficaz e genuinamente verdadeiro (me desculpe pela redundância, foi proposital). Não posso terminar sem antes dizer algo extremamente importante. Embora as estratégias sejam importantes, é Deus quem faz as coisas acontecerem. Se não tivermos estratégia nenhuma, mas formos inteiramente fiéis a Deus, os resultados serão sempre os melhores e os mais surpreendentes. Na história de Gideão podemos ter esta certeza. Deus pretendia que Gideão lutasse com apenas 300 homens, e ainda ofereceu a eles como armas, trombetas, cântaros vazios e tochas (Jz 7:16). Gideão tinha um exército que, aos olhos humanos, seria derrotado em menos de 2 minutos de confronto. As armas que Deus lhes deu, na verdade não eram armas, e o máximo que poderiam matar com isso é a própria coragem de enfrentar os adversários. A lição de Deus é simples: Tudo o que Deus requer para nos dar a vitória é nossa confiança, entrega e obediência plena. As armas eram insignificantes assim como nós mesmos. Sem Deus, e sem obediência, nossas lutas e estratégias serão como estas armas insignificantes. A vitória só vem do Senhor, esta é a lição.

Gilberto G. Theiss, nascido no estado do Paraná, é membro da Igreja adventista do Sétimo dia desde 1996. Crê integralmente nas 28 doutrinas Adventista como constam no livro “Nisto Cremos” lançado pela “Casa Publicadora Brasileira”. Foi ancião por 3 anos na Igreja Adventista do Sétimo dia da cidade Nova Rezende/MG e por 6 anos na Igreja Central de Guaxupé/MG. Foi Obreiro bíblico na mesma cidade e hoje, além de ser coordenador do curso básico de reforço teológico para líderes de igreja pelo site www.altoclamor.com, está Bacharelando no Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia e cursou extensão em arqueologia do oriente próximo pela UEPB. Gilberto G. Theiss é autor de alguns livros e é inteiramente submisso e fiel tanto a mensagem bíblico-adventista quanto a seus superiores no movimento Adventista como pede hebreus 13:17. Toda a mensagem falada ou escrita por este autor é filtrada plenamente pelo que rege a doutrina bíblica-adventista do sétimo dia. Contato: gilbertotheiss@yahoo.com.br

Livros Escritos:
·         Acendendo a luz da verdade
·         Música e o Grande Conflito
·         Profecias que abalarão a Igreja e o Mundo
·         Encruzilhada – Princípios para uma vida melhor e abundante
·         Despertar de um Mandamento
·         Comentário Homilético do Livro de Romanos
·         Comentário Homilético do Livro de Gálatas
·         A História Revelada e a Verdade Confirmada – História da igreja
·         Cronologia do Salmo 150 e os Conflitos sobre Tambores e Danças
·         Adoração em Conflito
·         Editor e Coordenador da Meditação Matinal Permanente “Reavivamento e Reforma”


Um comentário:

Outras Postagens semelhantes

Related Posts with Thumbnails